A Trina Solar, líder mundial no fornecimento de soluções para energia solar que também está presente no Brasil, anunciou que fornecerá 16 MW de módulos bifaciais com baixa pegada de carbono para a EDF Renewables — os primeiros do gênero no país — a serem instalados em Aramon (5MWp) e em Saint Pargoire (11MWp).

Até o final do primeiro trimestre, serão entregues 44.790 módulos bifaciais de vidro duplo DUOMAX Twin em sua versão com baixa pegada de carbono e rendimentos energéticos que vão variar de 350 Wp a 365 Wp.

Uma vez em operação, as unidades fotovoltaicas produzirão energia 100% renovável, cobrindo o consumo de mais de 8.400 habitantes franceses. As unidades serão espalhadas por aproximadamente 18 mil metros quadrados e evitarão a emissão anual de aproximadamente 15 mil toneladas de CO2 por 30 anos.

O chefe de Negócios de Módulos da Europa na Trina Solar, Gonzalo de la Vina, disse: “Estamos honrados por termos sido escolhidos pela EDF Renewables para estes dois projetos na França, desenvolvidos sob as restrições específicas das licitações francesas CRE4.1 e CRE4.2”.

A notícia aquece o mercado global de energia solar de 2019, que tem previsão de ultrapassar os 100 GW pela primeira vez, com crescimento estimado nos 20 maiores mercados — Brasil incluso –, que responderão pela nova demanda global até 2023, segundo estudo da Wood Mackenzie, empresa de pesquisa e consultoria em energia.

Ganho energético

O módulo bifacial de vidro duplo DUOMAX Twin possui células PERC monocristalinas e aumenta o rendimento total de energia com a geração pelas partes dianteira e traseira, com ganho adicional de energia de até 25%, dependendo do albedo (quantidade de luz difundida ou refletida) e da montagem. A tensão do sistema de 1.500V reduz ainda mais os custos.

A tecnologia de vidro duplo da Trina Solar foi reconhecida até agora com 26 patentes. A estrutura durável de vidro duplo do módulo, feita com vidro solar de alta qualidade e encapsulamento, resiste a condições ambientais exigentes e protege as células solares contra a forte umidade, evitando a perda de energia por PID (potential induced degradation, ou degradação potencial induzida).

Website: http://www.trinasolar.com

Fonte: https://exame.abril.com.br/negocios/dino/franca-tera-2-projetos-de-energia-solar-com-baixa-pegada-de-carbono/

Imagem meramente ilustrativa.

Please follow and like us:
error

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *